• (31) 3281-1090
 

Dia Mundial do Coração - 29 de setembro

Mudanças nos hábitos ajudam a reduzir doenças cardíacas

Defendendo que pequenas mudanças podem fazer a diferença, o Dia Mundial do Coração, criado em 2000 pela World Heart Federation (WHF, Federação Mundial do Coração), foi concebido para alertar as pessoas sobre a adoção de hábitos saudáveis e assim, evitarem doenças do coração. A data (29/9) marca também um momento de conscientização e esclarecimento sobre as maneiras de combater a principal causa de mortes no mundo, que vitima mais de 17 milhões de pessoas por ano. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, as doenças cardiovasculares são responsáveis por quase 30% do total de mortes.

Entre os principais fatores de risco para o infarto e outras doenças relacionadas ao coração estão tabagismo, obesidade, hipertensão, diabetes, colesterol elevado, estresse, histórico familiar, consumo excessivo de álcool e vida sedentária. 

 

Principais sintomas

É preciso ficar atento aos fatores de risco e sinais precoces das doenças, visto que não existe um momento exato para que elas se manifestem e afetem o coração e os vasos sanguíneos. Segundo o cardiologista da HC-COOP, Dr. Rodrigo Vieira Teixeira, os principais sintomas são: dor no peito, falta de ar, cansaço, sensação de coração acelerado, batimento irregular do coração, desmaios, dor de cabeça, tontura, dor ou formigamento nos membros, confusão mental, alterações súbitas de fala ou de marcha, fraqueza repentina e assimétrica de membros.

 

Como se prevenir

'Grande parte dos problemas cardiovasculares podem ser prevenidos com bons hábitos. Para se ter um coração sadio é necessário adotar, entre tantas práticas, controle regular com o cardiologista, já que muitas doenças que afetam o coração não geram sintomas em suas fases iniciais', afirma Dr. Rodrigo. Confira abaixo algumas dicas do médico para se ter um coração forte: 


Pratique exercícios físicos

As atividades aeróbicas como caminhada, corrida e natação, de moderada intensidade, durante 50 minutos 3 vezes por semana apresentam ótimos resultados.  Pequenas iniciativas para se movimentar no dia-a-dia também são bem-vindas: levantar-se a intervalos regulares ao longo da jornada de trabalho para dar uma volta pelo escritório, optar pelas escadas em vez do elevador, deixar o carro na garagem e caminhar até a padaria, etc. 

Fique atento à balança, pois a obesidade aumenta as chances de adquirir outros fatores de risco cardiovasculares, como hipertensão, colesterol elevado e diabetes.

Adote uma alimentação saudável 

Opte por uma dieta balanceada, incluindo verduras, frutas, cereais, legumes e proteínas magras, além da ingestão diária de no mínimo 2 litros de água.

 Corte o tabaco 

Fumar aumenta muito o risco de ataque cardíaco.

Controle o colesterol

Evite o consumo em excesso de álcool, carboidratos e gorduras saturadas e trans, e realize exames regularmente.

Mantenha-se relaxado 

O estresse aumenta o risco de infarto e, em geral, se associa a outros fatores de risco. Para reduzir o estresse, a dica é praticar atividade física regularmente, fazer exercícios respiratórios, investir em momentos de descanso e dormir bem.



Responsável Técnico: Dr. Manoel Jacy Vilela Lima - Diretor Técnico
HC-COOP • Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela ConsulteWeb.